quarta-feira, outubro 18, 2006

BRASIL, Ó BRASIL

O tempo (e duas curtas experiências) há muito me ensinaram que um acidente (só pode ter sido) não me fez brasileiro.
Por todas as razões e mais uma. Se mais não houvesse, bastava o Jorge Amado, o Vinicius e Jobim. Uma picanha no Dadá ou um chope em calhetas. Uma pele baiana, um sol de Ipanema, um bafo de cachaça numa tarde de Itapoã. Ou aquela chuva gorda e morna a levantar o cheiro a terra e côco no calçadão.
Agora descobri mais uma.
Chama-se Carol Saboya que, voz que até hoje desconhecia. "Ó Xente", como díria um amigo brasuca: " É boa paca".

3 comentários:

Anónimo disse...

posso sempre trazer-te uma caixinha com um pouquinho de tudo isso... lá para meados de janeiro, se tudo correr bem... e se... realmente eu decidir voltar em vez de calçar um par de havaianas e ficar vendendo suco na praia ;)

Anónimo disse...

http://o-rapaz-da-aldeia.blogspot.com/

Anónimo disse...

e as putas, meu caro, as putas!...